Definições de política de reserva


A Delta e a KLM cada uma cobrará taxa administrativa de USD 50 por memorando de dívida emitido.

A política da Delta, como estabelecida na regra de tarifa 100, especificamente proíbe a prática de emissão consecutiva de passagens, que é definida como segue: A emissão ou uso de cupons de dois ou mais bilhetes emitidos à tarifa de viagem de ida e volta ou a combinação de duas ou mais viagens de ida e volta de começo a fim no mesmo bilhete, para o propósito de evadir as regras aplicáveis de tarifa, tais como a compra antecipada e os requerimentos de estadia mínima.

Os agentes engajados nesta prática são responsabilizados por estas violações e ações apropriadas serão tomadas, incluindo a emissão de notas de débito e, quando apropriado, o cancelamento da nomeação da Delta.

Os trechos devem ser cancelados e o inventário liberado imediatamente quando um bilhete não for comprado de acordo com a regra da tarifa ou quando notificado pelo cliente que a viagem já não é mais necessária, o que ocorrer primeiro. O espaço cancelado por um passageiro não deve ser usado por outro cliente mesmo que aquele cliente deseje ter um itinerário idêntico.

Dados de passageiro “Secure Flight” da TSA – Autorização do setor

Os dados de passageiros para voo seguro são necessários para cada passageiro e trecho. PNRs sem SFPD completos podem estar sujeitos a cancelamento até poucos momentos antes do prazo de 72 horas da TSA para o fornecimento desta informação.

A venda indiscriminada se refere a qualquer reserva repetida ou cancelada do mesmo itinerário na mesma classe de serviço ou em classes diferentes usando um ou mais nomes de passageiros registrados ou GDSs, incluindo, sem limitações, com a finalidade de manter ou estender os prazos para a emissão de bilhetes, manter o inventário ou atender às exigências de produtividade GDS. A DL exclui dos cálculos de vendas excessivas toda a atividade gerada na mesma data da reserva inicial para um trecho que foi criado.

Atualizado em: 17 de julho de 2008

A reivindicação de PNR possibilita que agências de viagens assumam o controle de reservas criadas pela Delta para finalidades de emissão de bilhetes em mercados que não são elegíveis para e-ticket. As reservas Delta criadas que são completamente elegíveis para e-ticket serão protegidas e indisponíveis para transferência de controle automático (Requisição) por agências de viagens por meio de seu GDS.

Reservas da Delta, como as que têm mais de 9 passageiros ou aquelas reservadas em categorias de prêmio SkyMiles são seguras e continuam a ser excluídas da funcionalidade de reivindicação.

Se você tiver mais perguntas, contate seu serviço de assistência GDS.

Um assinante GDS que usa mais de um GDS em seu negócio precisa reservar e emitir um bilhete específico para itinerário de passageiro dentro do mesmo GDS.

Todas as reservas duplicadas geradas por um único assinante GDS são proibidas, incluindo:

  • Itinerários múltiplos para qualquer número de passageiros com o mesmo nome de passageiro, quer de itinerários idênticos ou não
  • Reservar um ou mais assentos no mesmo voo ou em diferentes voos para o mesmo período de tempo, independente da classe de serviço ou do formato usado para fazer a reserva

Além disso, não é permitido criar uma reserva onde seu uso for logicamente impossível em cada trecho criado em um ou mais PNRs ou GDSs. Exemplos de aplicação de taxas relacionadas a trechos duplicados.

Reservas fraudulentas, fictícias ou especulativas são proibidas. Estas são definidas como reservas inseridas em um GDS independente dos códigos de entrada, usando nomes fictícios ou inventados, sem nenhuma intenção de viajar e que não está diretamente relacionada à solicitação de um passageiro para comprar um bilhete.
Exemplos de tais reservas incluem as reservas que listam o seguinte no PNR:

  • Horário A/B/C
  • Mouse/Mickey
  • Smith/A/B/C
  • Teste/Delta

Além disso, não é permitido criar tais PNRs para segurar ou bloquear reservas devido a uma demanda esperada, indecisão do cliente, ou por qualquer razão incluindo, sem limitação, evadir quaisquer regras de tarifa ou políticas da Delta Air Lines.

Uma reserva em grupo aceitável pode incluir trechos inseridos passivamente em um GDS. Esses trechos passivos precisam corresponder a trechos já existentes no sistema de reserva da Delta. Os trechos passivos só podem ser inseridos no momento e para a emissão do bilhete.

As reservas em grupo feitas em um GDS, que não são relacionadas diretamente a uma solicitação de um cliente e que são canceladas em seguida antes da emissão dos bilhetes são consideradas especulativas. Reservas de grupos feitas de modo a evadir estes procedimentos estão sujeitas a multas e/ou cancelamento pela Delta Air Lines. Isso inclui, sem limitação, criar grupos escondidos por fazer múltiplas pequenas reservas que são intencionadas para um grupo. A Delta proíbe a criação de reservas especulativas e escondidas de grupos.

Todos os trechos inativos precisam ser retirados do PNR do GDS no mínimo 24 horas antes da partida. Trechos inativos incluem aqueles com os códigos de situação de HX, NO, UN, UC, SC, TK, US ou WK.
Trechos inativos que não são cancelados 24 horas antes da partida estão sujeitos a cobranças da taxa de recuperação de custos da Delta.

A Delta gerencia inventário com base na origem e destino (O&D). O inventário que estiver disponível em um trecho particular para um O&D pode não estar disponível para outros O&Ds, incluindo o mesmo trecho. A política de reservas da Delta proíbe a criação de reservas para burlar controles de gestão de inventário (ex. controle de viagem ou lógica de trecho) e/ou obter o inventário das vendas de bilhete que a Delta não deseja oferecer ao itinerário de O&D atual do passageiro. Os agentes engajados em evasão do controle de inventário da Delta, Air France, KLM e Alitalia serão responsabilizados por estas violações.

A tecnologia de Controle de Viagem elimina a capacidade de reservar um trecho de voo por vez (ponto a ponto) quando mais de um voo for necessário para levar o passageiro até seu destino final. Criar uma reserva que inclua conexões agora deve ser reservado a partir da exibição de uma tabela de horários ou disponibilidade que inclua a origem e o destino (O&D) completos do passageiro.

Essa tecnologia revisará cada mudança de itinerário e reserva para garantir a conformidade com as orientações de O&D. As reservas ou os cancelamentos que violarem as regras do Controle de Viagem receberão uma mensagem de erro exclusiva, negando a transação.

O Controle de Viagem oferece aos clientes uma disponibilidade consistente por todos os canais de distribuição.

Observação: a tecnologia de Controle de Viagem permite que a Delta Air Lines aprimore os esforços de coerção e detecção de abusos na emissão de bilhetes. Os agentes envolvidos nesta prática serão responsáveis por tais violações e será tomada a ação apropriada de acordo com as políticas da Delta para práticas abusivas de emissão de bilhetes.

A estrutura básica de comissões da Delta varia por país. Os agentes de viagens indicados pela Delta não devem, direta ou indiretamente, contornar a estrutura da base da taxa de comissão aplicável da Delta para vendas em um país por cobrar taxas de comissões com bases aplicáveis em outros países, o que inclui o seguinte:

  • Através de estabelecimentos ou uso de um escritório internacional, impressora de bilhete satélite ou transferência eletrônica de dados de emissão de bilhetes
  • Através da partilha ou arranjo de referência com uma agência de viagens em outro país, ou de outro modo

A Delta se reserva o direito de cobrar qualquer valor de base de comissões inapropriadamente retidos e encerrar a autoridade de emitir bilhetes Delta de qualquer agente de viagens indicado pela Delta que participe de práticas contrárias às regras da Delta em relação à sua estrutura de comissão de base.

Um trecho passivo aceitável é um trecho inserido em um GDS com a finalidade de emissão de bilhetes. Ele precisa corresponder a uma reserva existente.

Os assinantes GDS precisam requisitar a funcionalidade PNR quando estiver disponível e puder ser usada para emissão de bilhetes em vez de trechos passivos. Não é permitida a criação de trechos passivos quando é possível requisitar um PNR criado pela Delta.

Para melhor controlar os custos e eliminar o abuso associado com o uso de trechos passivos, a Delta participa do aviso de trecho passivo em GDSs que oferece este melhoramento. Isso significa que, sempre que um agente de viagens reservar passivamente um trecho Delta, a Delta recebe uma mensagem de aviso de trecho passivo (PK, PL, PU, PX) no final da transação.

1. A Delta validará automaticamente cada mensagem de trecho passivo para determinar que o trecho correspondente existe em nossos sistemas de reserva internos.

2. Se um trecho idêntico não existir dentro do sistema interno da Delta, uma mensagem será enviada de volta ao PNR do GDS, mudando o código de status do trecho passivo para “NÃO” (Nenhuma ação tomada).

3. Um SSR também acompanhará o trecho rejeitado declarando que o trecho contendo o passivo não é válido. O(s) trecho(s) passivo(s) pode(m) ser rejeitado(s) pela Delta por uma ou mais das seguintes razões:

  • Itinerário correspondente não encontrado
  • Nome correspondente não encontrado
  • Número correspondente de passageiros não encontrado
  • Classe de serviço correspondente não encontrada
  • Trecho inserido ativamente em lista de espera pela Delta; lista de espera passiva não é permitida
  • Trecho passivo correspondente recebido anteriormente
  • Agência não tem autoridade para emissão de bilhetes ou está na tabela de vendas recusadas da Delta
  • Não é possível emitir bilhetes para o trecho da forma como foi reservado ou já foram emitidos bilhetes para o trecho

4. Os padrões da indústria exigem que os trechos passivos sejam usados “para o propósito de emitir bilhete” apenas depois que uma reserva tenha sido feita em um sistema de inventário de uma companhia aérea. A Delta não permite que trechos passivos sejam usados por outras razões incluindo as seguintes:

  • Para atender aos requisitos de produtividade do GDS
  • Para burlar regras de tarifas
  • Para completar funções administrativas

Para todos os pontos de venda nacionais e internacionais (norte-americanos e dos EUA para o exterior), ao reservar um grupo Premium, siga as regras de emissão de bilhetes abaixo:

  • Grupo mínimo – 10 passageiros
  • Sem descontos
  • Condutores de passeios podem ser negociados – válido apenas para agências
  • Contato do cliente – apenas agência oficial
  • Inventário de reservas para a Delta: Frota principal da Delta – classe Q ou acima usando apenas as tarifas publicadas
  • A agência estabelecerá uma conta de capital para ser usada por todos os grupos Premium. A agência será responsável por manter o balanço contínuo.
  • O pagamento completo incluirá taxas e sobretaxas aplicáveis no momento da estimativa da tarifa e não é reembolsável
  • Equity não pode ser usada para viagem futura
  • O alimentador de espaço será permitido apenas para destinos internacionais
  • É permitida uma troca de nome gratuita por bilhete antes do embarque. A agência precisa reemitir o bilhete.

Processo de grupo Premium

  1. A agência (agindo em nome do cliente) contata os coordenadores de atendimento ao consumidor GSSC para espaços domésticos e internacionais bloqueados por e-mail.
  2. O pagamento integral é exigido dentro de 7 dias úteis após a reserva. Se o pagamento não for recebido, o espaço bloqueado será cancelado.
  3. Uma carta de recomendação, junto com dois formulários descrevendo o pagamento eletrônico e os procedimentos do cartão Equity, serão enviados para a agência por e-mail.
  4. Ao receber o pagamento, a conta Equity será creditada.
  5. A agência controlará a emissão do bilhete e usará o cartão Equity FOP DL.
  6. Os bilhetes precisam ser emitidos no mínimo 7 dias antes da partida. Quando a emissão do bilhete for concluída, a agência precisa enviar uma notificação por meio de e-mail para o coordenador de atendimento ao consumidor GSSC.

Pós-Reserva

Informações adicionais:

  • Perguntas sobre grupos e acompanhamentos serão administradas pelos coordenadores de atendimento ao consumidor GSSC (CSC).
  • O acréscimo de mais passageiros ao grupo será confirmado sujeito à disponibilidade usando as tarifas aplicáveis no momento da reserva.
  • A agência emitirá seus próprios bilhetes com cartão Equity FOP DL (taxas adicionais e sobretaxas serão de responsabilidade da agência).
  • A agência emitirá seus próprios condutores de passeio aprovados.
  • Uma vez que todos os bilhetes para o grupo tenham sido emitidos (mínimo de 7 dias antes do embarque), é responsabilidade da agência informar à mesa do coordenador de atendimento ao consumidor para grupos que a emissão dos bilhetes está completa.
  • Os bilhetes de grupo não são reembolsáveis, mas podem ser reemitidos para viagens futuras. As multas aplicáveis serão aplicadas.
  • O alimentador de espaço é permitido com base no inventário disponível no momento da reserva.
  • Uma vez que espaço tenha sido acrescentado para um grupo inteiro, a agência será avisada a fazer um depósito no valor igual ao da cobrança adicional.
  • É permitida uma troca de nome gratuita por bilhete antes do embarque. A agência precisa reemitir o bilhete.

Opções de pagamento

Opção de pagamento eletrônico (método preferido) – as contas enviarão o pagamento diretamente à conta da Delta Air Lines, Inc. no Citibank. Instruções específicas serão fornecidas por e-mail da mesa CSC. Agências não americanas/contas de clientes não podem fazer transferências para pagar por seus grupos.

O programa para voo seguro da TSA exige que os agentes de viagens informem nome, data de nascimento e sexo do passageiro, e permite um número opcional de correção em relação às listas de observação do governo para voos domésticos e internacionais. PNRs sem informações completas do passageiro para voo seguro podem estar sujeitos a cancelamento, impedimento de bilhetes e possível taxa por violação de reservas.

Veja o site da TSA para voo seguro para obter mais informações www.tsa.gov, abre em uma nova janela.

Ao mudar itinerários em um registro do nome do passageiro (PNR), é necessário solicitar novamente quaisquer pedidos de serviço especial da reserva original. Quando um nome é modificado em um PNR os documentos SST serão removidos do PNR. Isso inclui menores não acompanhados, solicitação de refeições especiais e informação de passageiro para voo seguro. Quando uma mensagem SSR é necessária para apenas uma parte do itinerário, a solicitação de serviço especial precisa ser específica para o voo, e não solicitada para todos os voos Delta.

O modo de treinamento ou os códigos de situação de trecho não passível de cobrança fornecidos pelo GDS devem ser usados em testes de situações ou treinamento de pessoal. Criar PNRs para propósitos de treinamento usando códigos de status de trecho é proibido.

Todas as reservas da Delta Air Lines exigem que o passageiro informe um nome, segundo nome e sobrenome válidos. Iniciais, em lugar de um primeiro, nome do meio, ou sobrenome, não são permitidas. Consulte o website da TSAabre em uma nova janela para obter mais informações.

Alterações de nomes inválidos

Alterações de nome não são permitidas em reservas, exceto quando informadas com a finalidade de corrigir um erro de digitação no nome do passageiro. Contate o Centro de serviço global para obter assistência com erros de grafia para evitar cancelamentos de espaço.

Listas de esperas de classe de serviço B, M, H, Q, K, L, S, U, e T na Delta Air Lines não são permitidas.